O Gás Natural Veicular (GNV) mistura combustível gasosa destinada ao uso veicular, cujo componente principal é o metano, de acordo com as especificações estabelecidas por órgão competente. Este tipo de gás provém de duas fontes: gás natural e biogás.
O do GNV em motores concebidos para utilizar gasolina ou álcool hidratado, é comum que se opere na forma “bicombustível”, utilizando preferencialmente o GNV, porém podendo ser usado o combustível original (gasolina ou álcool hidratado). Nos veículos movidos a óleo diesel (motores de dois ou quatro tempos que possuem ignição por compressão), o gás pode ser utilizado na forma combinada, que utiliza tanto o diesel quanto o gás, ou substituindo o antigo motor movido a diesel por outro movido apenas a gás.
Em ambos os casos, a conversão se faz adicionando ao veículo um conjunto de equipamentos basicamente formado por:

  • Conjunto de reservatórios, denominados de cilindros, para acondicionar o GNV;
  • Rede de tubos de alta e baixa pressão;
  • Dispositivo regulador de pressão (Redutor de Pressão);
  • Indicadores de Pressão;
  • Válvula de abastecimento;
  • Válvula de cilindro;
  • Bicos Injetores;
  • Dispositivo de troca de combustível;
  • Indicadores de condição do sistema.

O GNV não é uma fonte de perigo para o veículo como muita gente pensa. As normas relacionadas com a conversão são extremamente rígidas e seus controles são melhores do que aqueles relacionados com a maioria das outras partes do veículo. Os componentes do sistema de conversão são testados exaustivamente pelos fabricantes com a finalidade de assegurar uma confiabilidade elevada.

O INMETRO através dos OCPs, certifica os fabricantes e importadores de componentes de GNV realizando testes que atendem normas Nacionais, Internacionais e Portarias do INMETRO em laboratórios acreditados, como o Laboratório Tork Controle Tecnológico de Materiais.
O Laboratório Tork, testa os seguintes componentes de GNV:

  • Válvula Manual de Cilindro
  • Válvula de Abastecimento
  • Válvula Automática
  • Bico Injetor de Gás
  • Indicador de Pressão
  • Redutor de Pressão
  • Misturador de Gás
  • Válvula de Alívio
  • Cilindro de GNV
  • Suporte para Cilindro de GNV
  • Linha de Alta Pressão (Tubo de Aço)
  • Dutos de Baixa Pressão
  • Sistema de Ventilação
  • Invólucros

O Laboratório Tork, realiza os seguintes testes em componentes de GNV:

  • Ensaio de Vibração
  • Ensaio de Imersão Sintética Não Metálica
  • Ensaio de Envelhecimento por Oxigênio
  • Ensaio de Compatibilidade de Latão
  • Resistência Hidrostática em Componentes GNV
  • Resistência a Baixa Temperatura
  • Operação Continuada
  • Estanqueidade em Componentes de GNV
  • Tensões Elétricas Máxima e Mínima de Operação
  • Resistência ao Torque Excessivo
  • Resistência ao Momento Fletor
  • Dobramento em Tubo de Alta Pressão
  • Dobramento em Tubo de Baixa Pressão
  • Aderência (Pull-Off) em Dutos de Baixa Pressão
  • Permeabilidade em Dutos de Baixa Pressão
  • Torque de Abertura e Fechamento de Válvula de Cilindro
  • Ensaio de Aceleração em Suporte de Cilindro
  • Ensaio de Corrosão

Outros ensaios sob consulta.

O Laboratório Realiza os ensaios em componentes de GNV conforme as normas ABNT, ISO e Portarias INMETRO, outras normas sob consulta.

Fonte:

  • ABNT NBR 11353-1 – Veículos rodoviários e veículos automotores – Sistemas de gás natural veicular (GNV) Parte 1 Terminilogia
  • Portaria INMETRO Nº 417, de 22 de Novembro de 2007
  • Portaria INMETRO Nº 257, de 30 de dezembro de 2002.
  • Site: http://www.gasnet.com.br/gnv/entendendo_gnv.asp