A tinta é uma composição líquida, geralmente viscosa, constituída de um ou mais pigmentos dispersos em um aglomerante líquido que, ao sofrer um processo de cura quando estendida em película fina, forma um filme opaco e aderente ao substrato. Esse filme tem a finalidade de proteger e embelezar as superfícies.

Os componentes básicos da tinta são:

Resina:
A resina, a parte não volátil da tinta, também conhecida por veículo, suporte ou ligante, tem a função de formação da camada, pois sem este componente a mistura seria apenas uma pasta de pigmentos e solventes que resultaria após a secagem, num pó isento de propriedades necessárias à estática e de proteção ao substrato, como cor, brilho, resistência a água e produtos químicos, etc. As resinas podem ser agrupadas em entre as de origem natural e os chamados polímeros sintéticos produzidos por processos industriais, geralmente utilizando calor e catalisadores.  Todas as resinas levam o nome da resina básica que as compõe.

Pigmento:
O pigmento ou elemento de cobertura é o material sólido finamente dividido, insolúvel no veiculo da tinta (no meio), responsável principalmente pelo comportamento da aparência da camada.  O pigmento é selecionado para conferir cor, opacidade, aspectos como sangramento, absorção de óleo, solidez a luz e poder de cobertura. São divididos basicamente em três tipos: pigmentos coloridos, pigmentos não coloridos e pigmentos anticorrosivos. A refração é mudança da direção de propagação de um feixe luminoso ao passar de uma substância para outra. O índice de refração (I.R.) é definido como a velocidade da luz no ar dividida pela velocidade da luz na substância, desta forma, quanto maior o I.R. maior será seu poder de cobertura (quanto for maior o índice de refração mais difícil será a propagação da luz neste meio). O I.R. está diretamente relacionado ao poder de cobertura, sendo que os pigmentos coloridos devem possuir um I.R. superior a 1,5 (I.R. médio das resinas utilizadas em tintas). As cargas possuem I.R. iguais ou ligeiramente superiores a 1,5 sendo, portanto, transparente ou quase transparentes.

Aditivo:
O aditivo proporciona características especiais as tintas ou melhorias nas suas propriedades. Este componente auxilia na fabricação e na aplicação da tinta. Alguns exemplos de aditivos são os secantes, anti-sedimentantes, niveladores, antipele, antiespumantes, dispersantes, etc.

Solventes:
Os solventes são líquidos voláteis, geralmente com baixo ponto de ebulição, utilizado nas tintas com o intuito de dissolver a resina. São classificados como solventes ativos ou verdadeiros, latentes e inativos. O solvente é utilizado para modificar a viscosidade ou consistência da tinta para se obter uma aplicação uniforme.

Ensaios para determinação da composição e caracterização das tintas consistem em determinações na tinta líquida, como recebida na embalagem e na tinta seca, aplicada sobre corpos de prova, em produtos industrializados ou, ainda, sobre peças de estruturas ou equipamentos.

 

Principais Ensaios Realizados:

  • Determinação da Massa Específica
  • Determinação da Viscosidade (Copo Ford, Zahn e Stormer)
  • Determinação de Brilho
  • Estabilidade na Estocagem
  • Determinação do Tempo de Secagem (Pick-Up Time / Toque / Manuseio)
  • Resistência a Abrasão – Queda de Abrasivo
  • Resistência a Abrasão – Taber
  • Ensaio de Flexibilidade
  • Ensaio de Sangramento
  • Determinação de Sólidos por Volume
  • Resistência a Água
  • Resistência ao Calor
  • Resistência a Luz
  • Determinação de Cor
  • Determinação de Breu e Derivados
  • Resistência a Imersão (Solventes ou Agentes Químicos)
  • Determinação da Porcentagem de Água na Tinta
  • Determinação da Formação de Nata
  • Determinação da Faixa de Destilação de Solventes
  • Finura de Moagem
  • Determinação do Teor de Pigmento
  • Viscosidade Daniel Flow
  • Determinação da Matéria não Volátil
  • Determinação do Veículo Não Volátil
  • Espessura da Camada de Tinta Seca
  • Espessura da Camada de Tinta Úmida
  • Determinação da Estabilidade na Diluição
  • Resistência a Gasolina (Automotiva e Aviação)
  • Determinação do Poder de Cobertura
  • Determinação da Dureza Lápis
  • Aderência Corte Cruzado
  • Aderência Corte X
  • Aderência Pull-Off
  • Antiderrapândia (Método Pêndulo Britânico)
  • Resistência a Impacto de Pedra (Batida de Pedra – Gravolômetro)
  • Resistência a Impacto Granalhas (Gravelômetro)
  • Intemperismo
  • Corrosão
  • Névoa Salina

 

Fonte:
Tintas – Ciência e Tecnologia, Fazenda, George M. R. – Editora: Blucher – 4ª Edição – 2009
Tintas: Métodos de Controle de Pinturas e Superfícies – FASANO, C.A.T.V.; – São Paulo, Hemus, 1995

Ensaios em Tintas

 

 

 

 

Teste de Tinta