Aplicação
Indústria Pesada
Automobilística
Vasos de Pressão
Tubulações

Materiais Analisados

Materiais Ferrosos

Materiais Não Ferrosos

RÉPLICA METALOGRAFICA

As propriedades metalúrgicas dos materiais metálicos, tais como, resistência, ductilidade, tenacidade, e resistência a corrosão, podem ser alteradas enquanto um componente está em serviço devido as mudanças microestruturais devido ao resultado de envelhecimento térmico a elevadas temperaturas. Por exemplo, os aços ao carbono podem ser fragilizados quando envelhecidos, esferoidizados ou grafitizados, aços inoxidáveis podem formar fase sigma ou podem sensitizar e sofrerem trincas catastróficas.

APLICAÇÃO

As mudanças nas propriedades geralmente são difíceis de serem detectadas, visto que os danos não são visíveis ou ainda não ocorreram. Algumas inferências podem ser feitas para examinar a superfície das amostras. A composição do material, microestrutura, temperatura de operação, e tensões acumuladas são fatores importantes para determinar a susceptibilidade à alterações metalúrgicas.

A réplica metalográfica é um procedimento de exame metalográfico não destrutivo que visa a obtenção de uma amostra da superfície metálica através de um relevo negativo, como um decalque, obtido sobre um filme plástico específico. Esta amostra pode ser examinada em um microscópio para observação da integridade microestrutural do equipamento e/ou componente.

Com a réplica metálográfica é possível avaliar indícios de sensitização, crescimento de grãos, susceptibilidade à corrosão, corrosão sob tensão, processos de esferoidização, fadiga, etc. que são indicações de envelhecimento dos materiais quando expostos em condições de alta temperatura ou condições fora do equilíbrio.

A réplica é uma técnica metalográfica de campo não destrutiva sendo realizada normalmente em peças grandes e/ou em peças que não podem ter amostras menores removidas. É também conhecida como metalografia “in situ” e sua aplicação de maior significância é a análise de danos, entretanto esta técnica tem outras aplicações de extrema importância como avaliação de vida remanescente de componentes pela determinação do estado microestrutural dos mesmos.

COMO O TESTE É REALIZADO

O procedimento básico para realização de uma réplica é a preparação mecânica da superfície por lixamento e polimento (mecânico ou eletrolítico), seguida de ataque químico e/ou eletrolítico, avaliação da microestrutura com microscópio ótico portátil e/ou réplica da estrutura micrográfica utilizando-se filme que revela a topografia da superfície.

A figura mostra um esquema básico da aplicação do filme onde
(a) observa-se uma superfície contento uma partícula de carboneto e uma trinca;
(b) como o filme de embebido em solvente, ele se adapta sobre a superfície;
(c) o filme removido da superfície. A réplica é uma impressão “negativa” das características da superfície ensaiada, um registro permanente da microestrutura da peça.

réplica metalografica